Brasília, 19 de Novembro de 2019
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas

Anuncie Aqui

Tensão geopolítica 14.11.2019

 Ernani Reis

 
A recente escalada de tensão geopolítica entre países-chave para a economia internacional vem tirando o sono de muitos investidores nos últimos meses. E para quem acha que se trata apenas da guerra comercial entre Estados Unidos e China, deve começar a se preocupar com a grama do vizinho.
 
Parceiras há mais de uma década, a Petrobras SA e a Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) negociam a distribuição do Gas Natural Boliviano através da rede de transporte entre os países, o Gasbol. Atualmente, a rede possui 3,15 mil km de extensão, dos quais 82% estão instalados no território brasileiro.
 
Em julho deste ano, a Petrobras anunciou o leilão de venda de 51% da rede Brasil- Bolívia, como parte do acordo firmado entre a estatal Brasileira e o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para abrir o setor de gás natural à concorrência até 2021. O anúncio despertou o interesse na Companhia Boliviana de expandir os negócios em solo brasileiro através das negociações diretas com empresas distribuidoras e indústrias privadas, evitando a intermediação de terceiros. A própria Petrobras deverá manter o volume de compra atualmente negociado.
 
Tudo caminhava como planejado para as companhias até o último domingo (10), quando o fator político roubou a cena no mercado. Sob forte acusação de fraude eleitoral, o presidente da Bolívia Evo Morales e seu vice Álvaro Garcia renunciaram aos seus cargos deixando o governo à deriva. No mesmo dia, a ex-presidente do Tribunal Supremo Eleitoral da Bolívia Maria Eugenia Choque Quispe junto do vice-presidente do TSE boliviano, Antonio Costas, foram presos, reforçando ainda mais a possibilidade de fraudes nas eleições.
 
Sem uma solução prevista até o momento, a segunda vice-presidente do Senado, Jeanine Añez, reivindicou o direito de assumir a presidência da Bolívia com o objetivo de convocar novas eleições.
 
O fato é que a ocorrência desse final de semana joga um balde de água fria na negociação entre a Petrobras e a YOFB, restando ao investidor aguardar o desenrolar do cenário nos próximos dias".
 
Ernani Reis, analista da Capital Research
 

ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER

Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
VEJA MAIS

28.10.2019 Do luto à luta
24.10.2019 Supremo e o destino do Estado Democr√°tico de Direito
17.10.2019 Pris√£o em segunda inst√Ęncia ou presun√ß√£o de inoc√™ncia: quem vencer√°?
15.10.2019 Professor, profiss√£o em perigo!
11.10.2019 O impeachment nos EUA e no Brasil

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152