Brasília, 16 de Dezembro de 2017
Página inicial
Quem somos
Contato
Cadastre-se
Anuncie aqui
Notíias | Entrevistas | Notas | Artigos | Enquete | TV Câmara | TV Senado | Agendas
1

Anuncie Aqui

Temer e Alckmin vão definir saída de tucanos 02.12.2017

Brasília - O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, reafirmou nesta quinta-feira que o governo do presidente Michel Temer (PMDB) já considera o PSDB fora da base aliada e disse que a saída dos ministros tucanos que ainda estão em seus cargos deve ser acertada em conversas entre Temer e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que deve assumir o comando do partido no próximo dia 9.

“Se houve anúncio por todos os líderes que eles iriam sair (da base) me parece que (saída dos ministros) é uma questão apenas de Temer e Alckmin definirem a forma com que vai ser feita essa transição”, afirmou Padilha.

O ministro disse ainda que o presidente “sabe conduzir como ninguém” essas negociações em torno dos cargos de primeiro escalão. “Questão de ministério é questão presidencial e ele está definindo a forma que tem caracterizado o presidente Michel Temer, com muito diálogo, conversando com as lideranças mais importantes do PSDB, e com o diálogo com o governador Alckmin”, reforçou.

Geraldo Alckmin e Michel Temer devem se encontrar no próximo sábado, quando ambos participam de cerimônia de entrega de unidades do Minha casa, Minha Vida, no interior de São Paulo.

Ao ser questionado se os dois também deveriam tratar na conversa sobre a costura de aliança para as eleições do ano que vem e se o governo pode vir a apoiar Alckmin caso ele demonstre apoio à reforma da Previdência, Eliseu Padilha disse que os partidos têm seus projetos para 2018 e que todos precisam ser respeitados.

“O PMDB, os partidos da base de sustentação e o governo têm um projeto de poder para 2018. Nós vamos cuidar deste projeto de poder”, destacou. “Acho que de forma absolutamente justa o PSDB e Alckmin têm um projeto de poder, que eles devem defender. Nós compreendemos e de outra parte se espera também que haja compreensão com a decisão do PMDB e dos demais partidos da base do governo.”

Padilha deu as declarações ao chegar para uma cerimônia na Imprensa Oficial para marcar o fim da versão impressa do Diário Oficial da União (DOU).

Mais cedo, o ministro das Relações Exteriores, o tucano Aloysio Nunes Ferreira, havia afirmado que as declarações de Padilha feitas ontem sobre a saída do PSDB da base aliada foram mal interpretadas. Segundo ele, o partido mantém o apoio ao presidente Michel Temer.

“O PSDB não faz parte da base do governo, o PSDB apoia o governo, não rompeu com o governo. Participação do governo ou não é uma decisão do presidente”, disse o tucano.

Com agências 


ABC POLITIKO - LINHA DIRETA COM O PODER




Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal Voltar a P√°gina Principal
VEJA MAIS

14.12.2017 Votação da PEC da Previdência fica para 19 de fevereiro
14.12.2017 Projeto de transparência da CLDF vai a plenário
14.12.2017 Judici√°rio torra R$ 105 milh√Ķes em aux√≠lios a ju√≠zes
14.12.2017 PT discute "Plano B" para cen√°rio de Lula condenado
14.12.2017 Agripino vira réu no STF e DEM adia convenção

VEJA TODOS

SRTVN Quadra 701 Bloco B Sala 826 - Centro Empresarial Norte | Brasília - DF | CEP 70710-200 | Fone: (61) 3328-2991 | Fax: (61) 3328-2152